Arquivo | Inspiração da Plateia RSS feed for this section

Inspiração: Outubro Rosa

5 out

Semana nova, mês novo, inspiração nova, e desta vez, voltamos a falar sobre um assunto de extrema importância para toda e qualquer mulher, a prevenção ao câncer de mama, nosso tema então vai ser: OUTUBRO ROSA

É muito importante que todas as mulheres fiquem atentas ao tópico, vemos casos e mais casos de mulheres que foram diagnosticadas com a doença, que muitas vezes pode levá-las à morte. Identificar os sintomas de câncer é relativamente fácil e pode e deve ser feito em casa, conforme diagrama a seguir.

Se durante o auto-exame for detectada qualquer um dos sintomas abaixo, deve-se procurar ajuda imediatamente. Os médicos que tratam câncer são os oncologistas, e podem ser consultados por iniciativa do próprio paciente ou através de encaminhamento de algum outro médico quando necessário, como, por exemplo, o ginecologista.

Uma outra coisa muito importante é o apoio!

As mulheres devem se apoiar, quando há o diagnóstico, junto vem muito sofrimento, angústia, medo, baixa auto estima, etc etc etc

A ajuda psicológica é fundamental nestas horas, o amparo e o apoio, jamais olhar para a pessoa com expressão de pena ou como se já tivesse morrido, isto só piora como a pessoa se sente, ser compreensivo e ter compaixão é fundamental nestas horas. Se você acha que não conseguirá olhar nos olhos daquela pessoa sem demonstrar pena ou medo, então escreva um email ou uma carta demonstrando todo o amor que sente e dando apoio, mas não suma, todo o apoio é fundamental nestes momentos tão delicados.

Em homenagem ao momento, fiz estas unhas inspiradas, vamos ver?

Cores:

Rock Glam – Jade Metal Shine

Super Star – Jade Metal Shine (para a filha única)

A ideia foi fazer uma esmaltação chique e prática, com a filha única rosa bem delicado e o restante num rosa mais fechado, em tom metálico. A única coisa ruim é que Jade demora pra seeeeeempreeeeee pra secar, então me mexi e amassaram duas, só consegui a plenitude dos movimentos após umas 2h tomando total cuidado. A marca é ótima, mas eu não levaria em uma viagem, pois tira demais a praticidade esta secagem tão lenta.

Existe uma única coisa que qualquer mulher ou homem pode fazer para ajudar quem está passando por este doloroso processo de cura, basta um pouco de paciência. É a doação de cabelo.

As madeixas são doadas para a confecção de perucas, que vão ajudar as mulheres que passaram pela quimio a se sentirem mais femininas e melhorar sua autoestima.

Recomendo dois lugares, e basta enviar pelo correio, seguindo as instruções das próprias instituições.

Uma é a Rapunzel Solidária, que fica em São Paulo, e a outra é o Hospital do Câncer de Uberlândia.

Eu já doei o meu, quer ajudar também? É só deixar o cabelo crescer!

Gostou? Me conta!

Beijos e vamos fazer a nossa parte!

Anúncios

Tema da Semana: Percy Jackson

27 jul

Bom dia lindezas, tudo bem com vocês?

O tema desta semana foi indicado pela leitora Summer (obrigada, mande sempre mais sugestões!!!!)

Percy Jackson é uma obra de ficção de literatura, escrita por Rick Riordan (Percy Jackson and the Olympians) que foi adaptada para o cinema. Infelizmente, devido a baixa bilheteria (o segundo filme é ruim mesmo), foram feitos apenas dois filmes, sendo a franquia cancelada (mesmo os atores tendo contrato para três filmes).

Sendo sincera, vi os dois filmes, mas não li os livros (pelo menos não ainda, estão na minha lista junto com Eragorn, logo depois que eu terminar o quinto livro das Crônicas de Gelo e Fogo – aka Game of Thrones).

Todo enredo gira em torno de Percy Jackson, um garoto que, após um ataque durante uma visita a um museu numa excursão da escola, descobre que é um semi deus, filho de Poseidon (que é o deus das águas). Após o evento ele é levado para um acampamento escondido em que são treinados e criados os filhos de semi deuses, onde eles são protegidos.

Lá no acampamento ele conhece Annabeth que é filha de Atenas, descobre que seu melhor amigo é um sátiro, e que a função dele era proteger o Percy, conhece Clarisse (que é filha de Ares – deus da guerra) e que compete com ele, Thalia (filha de Zeus) e diversos outros semi-deuses, e as aventuras se desenrolam a partir daí, sendo Luke (filho revoltado de Hermes) o grande vilão, pelo que sei pela maior parte da saga e nos dois filmes.

Não conheço muito mais, da saga, sei que, no primeiro filme (aparentemente bem fiel ao livro) Percy é acusado de ter roubado os raios de Zeus (o que leva ele a ser atacado na excursão da escola e levado para o acampamento de meio sangues), lá conhece Annabeth e descobre que Groove (seu melhor amigo deficiente físico) é um sátiro (o que não o faz deficiente, mas como ele é meio humano e meio animal – ele tinha que usar muletas no mundo humano para disfarçar), e então, durante uma fuga a mãe de Percy é morta e levada por Hades, o que faz com que Annabeth, Percy e Groove passem por diversos problemas e confusões para poder salvá-la e, ao final, descobre-se quem roubou os raios…

No segundo filme, a árvore que protege o acampamento dos meios sangues (que é Thália, filha de Zeus, que deu sua vida para que Luke e Annabeth chegassem ao acampamento quando foram atacados por ciclopes) é contaminada, assim, somente o velocínio de ouro pode salvá-la. Dessa maneira, Clarisse é escolhida para ir buscar o velocínio atravessando o mar de monstros, mas se perde, e quem a encontra é Percy, Annabeth, Groove, e Tyson (meio irmão ciclope de Percy). A estória se desenrola e descobrem que Luke (que é o grande filho rebelde de Hermes e vilão da série) está com o velocínio para ressuscitar Cronos e todo o filme e a aventura se desenrola a partir daí…

Como disse, esse segundo filme foi muiiiiitttooo ruim de bilheteria, e ele é ruim com força acredito que parte porque entre o primeiro e o segundo filme tem um hiato de três anos (o que é um tremendo tiro no pé para uma franquia infanto-juvenil, uma porque o público cresce e passa a ter outros interesses, outra porque nesse meio tempo, a franquia teve que competir com o Hobbit, Jogos Vorazes … uma terceira, porque o filme é ruim mesmo, a interpretação do elenco é fraca e ele não convence nem um pouco – apesar de ser legal para assistir com a sobrinha de oito anos – é o tipo de filme de Sessão da Tarde rsrsrs).

Quanto aos livros, Percy Jackson e os Olimpianos é uma saga com cinco livros (O ladrão de raios, Mar de monstros, A Maldição do Titã, A batalha do labirinto e O último olimpiano).

Acredito que seja isto.

Esta semana este é o tema de inspiração.

Beijos

Inspiração da semana: Girls (Série)

9 mar

Nem adolescentes nem mulheres com a vida resolvida: elas estão ali no meio. Se Gossip Girl fala do primeiro grupo e Sex And The City do segundo, Girls é uma série que trata exatamente das mulheres que já são adultas, mas ainda têm que se resolver profissionalmente e emocionalmente. E elas são nosso tema de inspiração desta semana, sugeridas pela leitora/amiga/xará Paula Dume.

A série foi criada por Lena Dunham, que também acontece de dirigir e escrever os episódios, além, é claro, atuar como a protagonista Hannah Horvath. A Hannah é uma aspirante a escritora cheia de neuroses, egocentrismos e problemas de auto-estima. No primeiro de episódio, ela, aos 24 anos, recebe a notícia de que seus pais não mais a sustentariam. A partir daí começa sua batalha por manter-se em Nova York e construir sua carreira, tudo isso em meio a relacionamentos bem complicados (tanto com seus namorados quanto com suas amigas).

Quando Hannah recebe a notícia dos pais que eles não irão mais sustentá-la, seu contra-argumento se resume a “eu poderia ser uma drogada, vocês sabem quão sortudos vocês são?”

As outras Girls são: Marnie, Jessa e Shoshanna. Muita gente compara com Sex and the City – a própria Lena Dunham o faz -, mas tem muitas diferenças que não cabem ser detalhadas por aqui (no Buzzfeed tem um ótimo artigo que já faz isso). Então, vamos nos ater a falar um pouquinho de cada uma. É engraçado que todas começam parecendo um estereótipo e depois vão para o lado oposto desta imagem.

A Marnie, por exemplo, é a moça certinha e promissora. Ela começa a série sendo um sucesso de carreira e no amor. Porém, tudo isso vai por água abaixo de uma hora para a outra e ela tem que lidar com o fato de que sua vida mudou radicalmente. Eu tenho um pouco de dó da Marnie, pois ela sofre bastante para se adaptar em sua nova realidade.

Allison Williams como Marnie Michaels.

Já a Jessa é a descolada do grupo, diz que já viajou pelo mundo, tem muita experiência de vida e é desapegada de tudo. A gente começa a ver os problemas que a Jessa enfrenta a partir da segunda temporada – com um casamento frustrado, problemas com drogas e relacionamentos desastrosos.

Jemima Kirke como Jessa Johansson.

A Shoshanna, prima da Jessa e única a ainda estar na faculdade, começa virgem, focada nos estudos e tem uma visão quase adolescente do mundo. Porém, depois de uma série de acontecimentos, ela “solta a franga”, vira uma mulher mais resolvida e com visões mais maduras do mundo.

Shoshanna Shapiro, interpretada por Zosia Mamet.

É engraçado que, diferentemente de Sex and the City, é bem comum você assistir à série sem realmente gostar de nenhuma personagem. Elas brigam, têm milhões de defeitos, são egoístas, instáveis… Mas a graça em assistir é acompanhar o ingresso dessas meninas no mundo adulto – um erro de cada vez.

Vale também mencionar o Adam, que começa como o “peguete” da Hannah. Inicialmente, ele parece um cara meio tapado sobre o qual nem a Hannah sabe muito, tem gostos estranhos na cama (é uma série cheia de cenas calientes, se você se incomoda com nudez, nem tente assistir) e não parece lá muito sociável. Depois que descobrimos um Adam diferente, que apesar das esquisitices tem ambições e – pasmem! – sentimentos.

Adam Sackler, interpretado por Adam Driver.

A série, que é da HBO, termina sua quarta temporada (que eu ainda nem comecei a assistir…) no final de Março e já tem contrato assinado para a quinta.

Vocês gostam de Girls? Já assistiram?

Inspiração da semana: Graffiti

2 fev

A gente pode achar que o graffiti é uma expressão artística muito contemporânea, mas, na verdade, a prática de pintar paredes por aí vem lá do Império Romano. O graffiti nada mais é que  uma inscrição caligráfica ou desenho sobre um suporte que não é tradicionalmente visto como tal, por exemplo, um muro ou parede. Este belo tema de inspiração foi sugerido pela minha amiga e xará Paula Dume.

O Estrangeiro, d’osgemeos – Removido do Vale do Anhagabau em São Paulo

Por muito tempo, esse tipo de arte foi considerada irrelevante ou até vândala, mas hoje em dia ela é considerada uma das formas das artes visuais. Claro que devemos fazer uma diferenciação entre grafitti e pichação, que trata-se de rabiscos ou escritos em paredes, muros, monumentos sem autorização. As pichações em geral são frases de protesto ou insulto, assinaturas, declarações de amor, demarcação de território, etc.

Apesar dessa distinção muitos grafiteiros admitem ter começado suas carreiras como pichadores. É o caso d’Os Gêmeos, dois irmãos que começaram a grafitar/pichar muros no bairro do Cambuci (São Paulo) e que hoje têm obras em várias cidades do mundo.

A fachada do Tate Museum, de Londres, grafitada pelos Os Gêmeos

 

Um outro artista grafiteiro muito importante na atualizada é o inglês Bansky, que também é ativista político e diretor de cinema. Suas obras são carregadas de humor negro e sarcasmo, carregando uma ideia de aversão à autoridade. Ele usa uma técnica peculiar de estêncil e não vende suas obras. Ninguém sabe seu nome verdadeiro e seu rosto também não é conhecido.

Graffiti de Bansky em Belém (Palestina).

O cara até já fez abertura de Simpsons:

É impossível falar de graffiti sem mencionar Jean-Michel Basquiat, que atuava nos anos 70/80 em Nova York. Ele deixava mensagens poéticas em prédios abandonados da cidade. Basquiat morreu em 1988, de overdose, aos 27 anos – idade, aliás, icônica para celebridades. Ele chegou a namorar a Madonna e existe um filme que conta a história da vida dele.

Um dos trabalhos de Basquiat.

Como vocês podem ver, o tema é amplo e diversificado, pois cada artista tem o seu estilo. Resta-nos escolher um deles para inspirar nossas unhas ou descobrir o que todos têm em comum.

Graffiti de Bjørn Christian Tørrissen em Olinda.

 

 

Tema do Leitor: Freddy Krueger

20 out

OOOOOOOOOOOOOOoiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!

E aí tudo bem com vocês??? Esta semana começamos com o tema que nos foi sugerido pelo nosso leitor!!!

Freddy Krueger é o antagonista (na verdade o protagonista) dos filmes “A hora do pesadelo”, tendo aparecido pela primeira vez em 1984, sendo que em 2010 foi feito um remake com o personagem.

Freddy é filho de uma freira, fruto de um estupro coletivo, foi colocado para adoção ainda quando criança, e o seu pai adotivo era um cara abusivo que o maltratava por diversão. Então Freddy mata seu padastro e foge, e, posteriormente começa a assassinar crianças. Quando os pais descobrem ser ele o assassino, o matam queimado, só que o nosso antagonista, antes de morrer faz um pacto com os demônios e passa viver no mundo dos sonhos onde assassina adolescentes.

Freddy é imortal no mundo dos sonhos, sendo que sua arma preferida é uma luva com lâminas.

Enfim, este é o tema da semana, que nos aprofundaremos durante a semana.

E aí, inspirei?

Beijos

Inspiração da Plateia: Monumentos Históricos

15 set

Oi gente!

Semana nova, inspiração nova, desta vez sugerida pela leitora Paula Dume (obrigada Paulinha!). Um tema que combina muito com o assunto da semana passada. Vamos falar sobre Monumentos Históricos.

As Sete Maravilhas do Mundo Moderno

Um monumento é uma estrutura criada para comemorar um feito de alguma personalidade ou marcar algum evento importante. Também são utilizados para marcar herança cultural e fatos históricos.

Memorial da América Latina, de Oscar Niemeyer

Temos alguns monumentos lindos aqui no Brasil, da época do Brasil Monarquia, início da República e em seguida, revolucionário.

Monumento à Independência, do início do século passado

Um monumento não precisa ser somente antigo, entretanto, apesar de esta tradição ter começado na Grécia e Roma antigas, ter sido recuperada na época do Renascimento e amplamente difundida após o período Napoleônico, atualmente temos monumentos modernos também.

Nosso lindo Cristo abençoando o Rio

Qual monumento você acha incrível?

“Deixa que eu empurro”, ou Monumento às Bandeiras, escultura modernista

Como você representaria seu monumento favorito em uma esmaltação?

Beijos e até quinta!

Inspiração da Semana: Michael Jackson

7 jul

Lembram que semanas atrás nós nos inspiramos na musa pop Madonna? Pois é, a querida leitora Ju Balbino sugeriu: e por que não fazer uma semana em homenagem ao rei Michael Jackson? Como aqui o desejo das leitoras é uma ordem, a gente demorou um pouco, mas eis nossa homenagem. E é legal falar dele também porque dia 25/6 fez cinco anos que ele faleceu. Sem querer ser clichezenta, mas como passa rápido!

O Michael (MJ para os íntimos) nasceu em 1958 na cidade de Gari, Indiana, EUA. Como todos sabem, ele começou na carreira artística muito, muito cedo, aos cinco anos de idade, e aos 11 já estava como vocalista do grupo formado com seus irmãos, o Jackson 5. Desde cedo o menininho já fazia fãs de toda parte vibrarem:

 

 

Como nem tudo são flores, a infância de Michael foi muito conturbada devido aos constantes abusos cometidos pelo seu pai. Ele batia nas criança, as aterrorizava psicologicamente, assistia aos ensaia com a cinta na mão. Em uma entrevista à Oprah Winfrey, em 1993, MJ disse que chorava por solidão e vomitava só de ver o pai. Muito triste.

 

Seu primeiro álbum solo em idade adulta foi o Off The Wall, de 1979. O disco foi um grande sucesso, mas seu sucessor 1982 foi uma bomba: Thriller conseguiu ser o álbum mais vendido e popular da história. Pudera, né? Deste disco surgiram vários clássicos não apenas musicais, como também na forma de videoclipes de tirar o fôlego:

 

 

Obviamente, o sucesso não parou em Thriller e a partir de então foram incontáveis os hits de Michael. Sem contar nas danças que ele criou, como a famosíssima e igualmente dificílima moonwalk:

 

 

Em meio a muitas e muitas polêmicas em sua vida pessoal, MJ foi o rei do pop indiscutivelmente, mas teve uma vida muito problemática e conflituosa. Em 2001, lançou o Disco Invincible que, apesar de boicote da gravadora Sony, ainda sim vendeu horrores. Depois disso, o Michael entrou em um hiato em sua carreira, que terminaria em 2009 com a série de 50 shows intitulada This is It, que aconteceria em Londres. Porém, pouco antes da estréia desses shows, Michael faleceu de intoxicação aguda do anestésico propofol, após sofrer uma parada cardíaca.

A história do Michael Jackson é extensa e cheia de detalhes, mas ninguém pode negar sua importância à imagem do pop no mundo contemporâneo. Tanto é que ele continua sendo uma grande influência para grandes artistas atuais.

E vocês, gostam do MJ?

Ah, gostaríamos de pedir para vocês sugerirem mais temas de inspiração! É fácil e indolor, basta clicar aqui.

Beijo

 

 

 

%d blogueiros gostam disto: