Inspiração da Semana: The Legend of Zelda

29 jun

Eu não posso me dizer uma gamemaníaca, mas tem épocas que eu fico meio vidrada em alguns jogos. Nessas épocas sou capaz de jogar várias horas seguidas. Acho que eu só não faço mais isso por falta de tempo, na verdade. Zelda é um desses jogos que me fazem ficar viciada. Acho que é o mix de jogo de exploração, ação (matar monstro é uma coisa que eu adoro! – em jogos) e resolução de quebra-cabeças.

Por incrível que pareça, a Princesa Zelda não costuma ser protagonista!

As histórias do jogo, especialmente as dos mais recentes, também costumam ser bem criativas. Digo as mais recentes porque os primeiros jogos eram basicamente o protagonista Link tendo que salvar a Princesa Zelda e a terra de Hyrule do malvado Ganon. Até aí, nada de muito criativo. Mas o último que eu joguei – A Link Between Worlds, de 2013 – envolvia universos paralelos, um vilão que transformava pessoas em quadros (obras de arte) e o Link tendo um poderzinho surreal de se mesclar às paredes.

Em A Link Between Worlds, o Link tem o poder doidão de se mesclar às paredes.

Outro Zelda que eu acho o máximo é o Majora’s Mask. Este é mais antiguinho, de 2000, e inicialmente era para o Nintendo 64. Na história, o Link tem que salvar a terra de Termina (paralela à Hyrule) da queda da lua. O jogo se passa durante um ciclo de 3 dias, ou seja, você tem que ficar indo e voltando no tempo para realizar as ações necessárias. O Link também vai obtendo poderes por meio de máscaras, sendo que cada uma o transforma em um ser diferente. Hoje em dia, criou-se um hype em cima desse jogo e ele foi relançado em Fevereiro deste ano para o portátil Nintendo 3DS. Claro que eu o namorido Guilherme já comprou para mim, eu TENHO que jogar de novo.

O Skull Kid é tipo o vilão de Majora’s Mask.

Para falar um pouco de história, o primeiro Zelda foi lançado em 1986 e se chamava The Legend of Zelda e foi desenvolvido para uma plataforma da Nintendo chamada Family Computer Disk System. Depois, o jogo foi adaptado para o Game Boy, Game Boy Advance e como virtual console para Wii, Wii U e Nintendo 3DS. O sucesso foi tamanho que o jogo vendeu 65 milhões de cópias. Desde então, foram lançados mais 18 jogos de Zelda para várias plataformas, sendo que o que teve mais sucesso foi o Ocarina of Time, de 1998. Este é considerado um dos maiores jogos de todos os tempos. O Majora’s Mask que eu comentei acima é sequência dele.

O Link tocando a sua ocarina em Ocarina of Time.

E vocês, já jogaram algum Zelda? Gostam de videogame?

Anúncios

Caso tenha problemas ao comentar, atualize a página (F5) e preencha seus dados sem o email.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: