O inexorável passar do tempo

28 nov

OOOOOOOOoiiiiiiiiiiiiii!!!

Tudo bem com vocês hoje?

Eu estou bem também, mas vou ser sincera, hoje tem post, mas não terá unhas…

Eu ia preparar as unhas na quarta-feira, pintá-las num tom rosado com alguns desenhos delicados, pois isto me lembra muiiittooo a Bela Epoque… mas as 5:40 de ontem recebi um telefonema, e com grande pesar fiquei sabendo que vovó foi jogar baralho no céu…

Minha vó (mãe da minha mãe) havia sido internada devido a um ataque cardíaco agora no início do mês e passou 20 dias na UTI, e, ontem ela finalmente pode ter seu merecido descanso, e foi para o outro plano…

Enfim, tudo isto é para dizer que se eu for fotografar as minhas unhas vocês ficarão com vergonha alheia, pois elas estão todas lascadas, ainda com o esmalte da semana passada… Infelizmente, não deu tempo e peço desculpas.

E sabem de uma coisa, achei que teria muito para falar, até pensei em procurar um poema que pudesse talvez representar muito o que eu tenho pensado e aquilo que tenho sentido sobre o passar do tempo, a vida e a morte… Mas infelizmente não tenho nada de bom…

Quinta eu fui trabalhar, como faço todas as semanas de segunda a sexta… E estacionei o meu carro no meu novo lugar, porque o antigo foi ocupado por uma caçamba de entulho… O Ademir, que cuida dos carros, veio conversar comigo, todo cheio de vida e na mesma alegria de sempre, e me disse que havia ganhado ingressos para um show, e que iria vendê-los e ganhar dinheiro… Enfim, coisas da vida… Entrei no escritório e tudo correndo na mais perfeita normalidade, o café feito, pessoas atendendo o telefone e telefonando e fazendo suas coisas de todos os dias…

Então, eu me dei conta de algo meio óbvio, mas que te faz perceber o seu tamanho perante o mundo… Quinta para mim foi um dia triste meio introspectivo, ontem foi um dia muuuiiitttooo triste, pois um ente super querido se foi… Mas isso foi para mim, e para a minha família… Para todo o resto do mundo, quarta-feira foi só mais uma quarta, normal como todas as outras… Não é o dia que foi triste, é a situação minha particular que foi triste… O mundo não deixou de girar naquele momento e nada parou…

Enfim, tudo isso talvez sejam reflexões de alguém que se depara com a finitude da vida e pouco sentido faça para todos os demais… Mas olhando ontem o cemitério, algumas coisas saltam os olhos: 1) Somos todos iguais ao sermos enterrados, pouco importa quem fomos (no sentido de  quais titulos tivemos). 2) O tempo passa para todos, portanto aproveite ao máximo.

E vou ficando por aqui.

Semana que vem voltaremos a nossa programação normal.

 

 

Anúncios

2 Respostas to “O inexorável passar do tempo”

  1. jubaoli23 21/12/2014 às 22:30 #

    meus pêsames, Fer.

    bjoo

    • FerLima 16/02/2015 às 7:38 #

      Obrigada pelo carinho Ju, foi difícil ver vovó ir embora, mas eu sei que foi melhor para ela…

Caso tenha problemas ao comentar, atualize a página (F5) e preencha seus dados sem o email.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: