Parque da Independência

13 set

Encerrando nossa semana da Independência vamos falar sobre o  PARQUE DA INDEPENDÊNCIA, acreditando que com esse Post venhamos a estimular  todos a conhecer esse lindo ponto turístico da cidade de São Paulo.

 

Na Colina do Ipiranga, junto ao Riacho do Ipiranga, Dom Pedro I declarou o país independente de Portugal em 1822.

A escolha do local da construção do edifício-monumento é relacionada com os  fatos históricos, esse  deveria ser construído às margens do Rio Ipiranga, próximo ao local onde Dom Pedro I possivelmente teria proferido o famoso grito: “Independência ou morte.”Foi escolhida a colina do Ipiranga, onde atualmente abriga também o Museu Paulista da Universidade de São Paulo, conhecido popularmente apenas como Museu do Ipiranga, que é responsável por um grande acervo de objetos, mobiliários e obras de Arte com relevância histórica, especialmente aquelas que possuem alguma relação com a Independência do Brasil  e o período histórico correspondente.Possui cerca de 125 mil artigos.

O Parque abriga além do Museu Paulista, mais conhecido como Museu do Ipiranga, a Casa do Grito, o Monumento à Independência  – uma estátua em homenagem ao “grito do Ipiranga”, de autoria do italiano Ettore  Ximenez , e um grandioso jardim no estilo Francês.

Um jardim do Parque do Ipiranga foi   projetado em estilo francês une o museu e o monumento aos outros edifícios existentes no local, que abrigam um viveiro de plantas e um museu de zoologia. Localizado em terreno rebaixado, o jardim proporciona grande impacto visual em conjunto com o prédio do Museu.

A  Casa do grito ergue-se nas proximidades do Riacho do Ipiranga, tendo sido originalmente construída em Pau-a-pique . Guarda vestígios das diversas reformas realizadas ao longo do tempo pelos seus diversos moradores, fazendo com que não tenha mais o estilo original, pois   diferentes materiais de construção foram a ela incorporados .

 

O imóvel ganhou essa denominação devido à associação com o quadro de Pedro Américo, Independência ou morte, que mostra uma casa semelhante pintada ao fundo do cenário que teria marcado o Grito do Ipiranga. O documento mais antigo da casa mostra que ela pertencia a Guilherme Antonio de Moraes em 1844 (portanto, 22 anos após a independência do Brasil).

 

 

Quadro Independência ou Morte.

A imagem de d. Pedro I desembainhando a espada no alto do Ipiranga é uma das representações mais populares da história do Brasil, foi feita  pelo artista Pedro Américo em 1888 . Há muitas décadas ela figura em livros didáticos e ilustra páginas de revistas e jornais por ocasião das comemorações da Independência. Diante dessa Tela  temos a impressão de sermos testemunhas do evento histórico, aceito naturalmente como o “marco zero” da fundação da nação, esse maravilhoso quadro encontra se no Museu do Ipiranga , sendo uma de suas maiores obras em exposição.

 

 

O Monumento à Independência foi inaugurado em 1922 para celebrar o primeiro centenário da emancipação política do Brasil . Nele, estão os restos mortais da imperatriz Leopoldina – desde a construção da cripta, em 1953 –, do imperador d. Pedro I – desde 1972 – e de Dona Amélia, segunda mulher do imperador – desde 1984.

O Monumento à Independência fica no Parque do Ipiranga, perto  do Museu Paulista. É obra do artista italiano Ettore Ximenes (1855-1926), e foi escolhido em um concurso que o governo estadual promoveu em 1917.

O grupo escultórico localizado no topo do Monumento chama-se “Marcha triunfal da Nação Brasileira” e representa a importância da independência do país e a marcha rumo ao crescimento e desenvolvimento como nação independente.

 

 

O Museu do Ipiranga,  MUSEU PAULISTA, encontra se fechado ao público desde agosto do ano passado de 2013 e   deverá abrir as portas apenas em 2022, ano do bicentenário da Independência. O prédio, que é tombado pelas três esferas do patrimônio histórico, foi construído no século XIX e passa por uma operação de diagnóstico preventivo em sua estrutura. As obras de restauro, tanto da fachada como das partes internas, ainda estão em fase de licitação.

A diretora do museu explicou que seis imóveis já foram alugados no Bairro do Ipiranga e estão sendo readequados para receber o acervo do museu. “Todo o acervo será retirado do museu, menos a pintura do Grito da Independência, de Pedro Américo, a maquete da cidade de São Paulo (feita em monobloco de gesso) e as estátuas dos bandeirantes que estão no saguão central permanecerão no museu.

 

 

 

 

Apesar dessa triste notícia de que o Museu do Ipiranga só vai ser reaberto em 2022, e das notícias á respeito de seu estado de abandono e ruína, o Parque da Independência ainda merece uma visitação para conhecer sua área externa e seu suntuoso Parquede lazer ao redor do museu.

 

 

Beijos!!!

MARIA    ALCIONE.

 

 

Anúncios

3 Respostas to “Parque da Independência”

  1. jubaoli23 13/09/2014 às 12:46 #

    tem coisas lindas pra se ver… amei a escadaria.
    tomara que esses 8 anos passem rápido e eu tenha a oportunidade de conhecer 🙂

    bjos

    • Alcione 14/09/2014 às 22:16 #

      É uma pena que um ponto turístico e
      histórico tão importante esteja em tal
      situação de ruína que demore tanto
      a restauração . Tudo é lindo no parque.
      Beijos!

Caso tenha problemas ao comentar, atualize a página (F5) e preencha seus dados sem o email.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: