Os cinco elementos

8 fev

E tudo que existe no universo veio do um, e este um se dividiu em dois, e depois se dividiu em cinco, e todos estes elementos, apesar de tão diferentes e distintos, estão conectados e não sobrevivem sem o outro.

Assim é uma interpretação romanceada de como a energia fundamental se subdividiu, dando origem ao yin-yang e aos cinco elementos.

O conceito embutido na teoria dos cinco elementos é uma das bases da Medicina Tradicional Chinesa, do Feng Shui, das práticas terapêuticas chinesas. Enfim, de basicamente toda a cultura clássica chinesa.

O mundo material seria então composto pelos cinco elementos da natureza básicos: fogo, terra, metal, água e madeira.

A tendência natural de qualquer organismo, sistema ou o que mais exista na face da Terra é o equilíbrio. Assim também é com os elementos, sua energia está presente em cada coisa e em cada ser, às vezes em equilíbrio, às vezes em desequilíbrio, se temos excesso ou falta de algum deles.

A inter-relação entre os elementos acontece basicamente de duas maneiras, através do ciclo da geração e do ciclo do controle (existem mais ciclos, mas deixemos isto pra outro dia). No ciclo da geração, a energia de um elemento atinge um pico e acaba gerando o outro, alimentando a sua existência, criando a nova energia (por exemplo, regamos a planta com água, e a planta cresce – água gera madeira).

No ciclo do controle a energia de um elemento controla o outro, evitando seu excesso, segurando a expansão da nova energia (por exemplo, apagamos o incêndio com água – água controla fogo). Vamos ver como funciona esta inter-relação.

Aqui podemos ver a inter-relação entre os elementos no ciclo da geração, que roda em sentido horário, e o ciclo do controle, que funciona em sentido horário pulando uma casa. A cor das bolinhas é a cor base do elemento.

Uma explicação um pouco mais detalhada da geração e do controle

Pra entender como estes ciclos funcionam, entretanto, não podemos simplesmente usar a dedução imediata. A análise dos elementos é bem mais complexa, pois cada um deles está associado à diversas características físicas, emocionais, estacionais, nutricionais e etc. Só fazendo uma análise mais completa de todas estas características podemos dar um diagnóstico aproximado do problema e usar a teoria dos cinco elementos pra sugerir uma cura*.

*Não é por isso que a pessoa vai deixar de consultar um médico especialista quando necessário. Uma terapia de cromoterapia, por exemplo, pode ser associada a uma terapia maior, mas, sozinha, não curaria um câncer, por exemplo. Cada caso é um caso e deve ser observado com cautela.

Vamos observar as características associadas a cada elemento.

Fogo

Estação do ano: verão (dia)

Clima: calor

Sabor: amargo

Cor: paleta dos vermelhos e laranjas

Odor: queimado

Sentido: fala

Expressão: riso

Sentimentos: alegria eufórica, agitação mental, vitalidade

Partes do corpo: coração e intestino delgado

Terra

Estação do ano: Canícula (a interestação) (entardecer)

Clima: umidade

Sabor: adocicado

Cor: paleta dos amarelos, ocres e marrons

Odor: perfumado

Sentido: paladar

Expressão: canto

Sentimento: preocupação, ideia fixa, pensamentos obsessivos, reflexão, ideias, memória

Partes do corpo: baço, pâncreas e estômago

Metal

Estação do ano: outono (anoitecer)

Clima: seco

Sabor: picante

Cor: paleta de brancos, acinzentados e prateados

Odor: cárneo

Sentido: olfato

Expressão: choro, pranto

Sentimento: ansiedade, tristeza, melancolia, introspecção

Partes do corpo: pulmão e intestino grosso

Água

Estação do ano: inverno (noite)

Clima: frio

Sabor: salgado

Cor: paleta de azuis e preto

Odor: pútrido

Sentido: audição

Expressão: suspiro

Sentimento: medo, pavor, persistência, força de vontade

Partes do corpo: rim e bexiga

Madeira

Estação do ano: primavera (amanhecer)

Clima: vento

Sabor: azedo

Cor: paleta dos verdes

Odor: rançoso

Sentido: visão

Expressão: grito, falar alto

Sentimento: raiva, tensão, irritação, mau-humor, coragem

Partes do corpo: fígado e vesícula biliar

Então, sabendo quais as características associadas a cada elemento, podemos fazer uma análise pessoal, identificar qual elemento está em desequilíbrio e usar a inter-relação para suprir a carência ou amenizar o excesso.

Um exemplo: Sabemos que um dos sentimentos relacionado ao elemento metal é a ansiedade. Um pouquinho de ansiedade não faz mal à ninguém, tipo aquele friozinho na barriga antes de fazer uma prova ou se apresentar, falar em público ou esperando o resultado de algum concurso. Agora, se a ansiedade beira o desespero, causa insônia, taquicardia, tira o foco dos pensamentos atrapalhando a rotina e a saúde da pessoa, este elemento está em excesso. Nós sabemos que tudo em excesso é prejudicial, aquela velha história de que a diferença entre remédio e veneno é apenas a dose. Neste caso o excesso do elemento é o veneno, está levando aos extremos todas as suas características. O desequilíbrio vai trazer sérias consequências a médio e longo prazo.

O que podemos fazer?

Observando o ciclo dos elementos, vemos que o elemento que controla o metal é o fogo, ok, mas se você não vai sair por aí botando fogo nas coisas, como funcionaria a cura?

Observando as características do elemento fogo podemos identificar uma solução: cor – vermelha (você pode usar peças de vestuário vermelhas por alguns dias); sabor – amargo (você pode tomar um chá verde, ou um mate quentinho, sem açúcar, comer algum alimento amargo); expressão – riso (você pode assistir a uma comédia, ou a um stand-up daqueles de chorar de rir, até doer a bochecha, vai se distrair do foco de ansiedade, relaxar e dissipar o excesso desta energia).

Esta é uma sugestão simplificada, baseada na observação dos sintomas e do ciclo dos elementos. A análise completa leva muito mais fatores em consideração, como, por exemplo, o zodíaco chinês da pessoa, o feng shui pessoal, as relações interpessoais com familiares e parceiros entre outros fatores que não cabe enumerar agora. Claro, que fazendo esta análise simplificada, numa emergência você consegue aliviar os excessos yin e equilibrar as coisas pelo tempo necessário de procurar ajuda ou um tratamento mais completo. Mas só observem o que eu falei acima, em caso de doenças graves, esta não é uma solução definitiva e jamais o tratamento médico pode ser negligenciado.

Associada aos conceitos de yin-yang e acupuntura a teoria dos cinco elementos pode ajudar a resolver alguns problemas de saúde e emocionais. Associada à análise do horóscopo chinês pode ajudar identificar algum desequilíbrio que a pessoa tenha ao longo da vida toda, mas não conseguiu identificar sua origem. Associada ao Feng Shui, pode harmonizar o ambiente de acordo com a necessidade de cada membro da família. Associado aos conceitos de estratégia, você tem técnicas de combate milenares que eram usadas durante as guerras, e por aí continua, as associações são inúmeras.

A parte interessante é esta, a relação que uma coisa tem com a outra, está tudo conectado. A origem é a mesma, a derivação possui características distintas, mas como tudo vem do mesmo lugar, só entra em harmonia quando você consegue unir o conhecimento em prol do todo e não apenas de um elemento isolado. Falei bonito agora heim! rs

Hoje encerro por aqui, se alguém quiser entender mais a respeito do assunto, recomendo alguns livros:

– Os Cinco Elementos na Alimentação Equilibrada, Dra. Ilse Maria Fahrnow, ed. Ágora

– Acupuntura Constitucional dos Cinco Elementos, Angela Hicks, ed. Roca

– Os Cinco Elementos e as Seis Condições, Gilles Marin, ed. Cultrix

– O livro dos Cinco Anéis, Miyamoto Musashi, editoras diversas

Gostou? Me conta!

Beijos e até a semana que vem!

Anúncios

6 Respostas to “Os cinco elementos”

  1. Alcione 08/02/2014 às 21:44 #

    A procura por todo tipo de equilíbrio em nossa
    vida deve ser fundamental, pena que a cultura
    Oriental com toda sua grandiosidade e filosofia
    seja tão distante de nossa cultura Ocidental.
    Lindo tema da semana e ótimo post.
    Beijos!

  2. Jurema 09/02/2014 às 15:34 #

    Maravilhoso! Detalhado e objetivo. Adorei!! Beijão.

  3. Jurema 09/02/2014 às 15:36 #

    Complementou o post da segunda-feira. rs

  4. jubaoli23 02/03/2014 às 3:09 #

    é bem complexa essa coisa toda, mas é bastante interessante…
    adorei as dicas, Iara 😉

    obrigada ^^
    bjs

Trackbacks/Pingbacks

  1. Inspiração da Semana: Ano do Carneiro | Unhas Inspiradas - 19/01/2015

    […] Pra quem perdeu ou quiser relembrar, pode ler a respeito dos anos anteriores: Dragão de Água, Serpente de Água, Cavalo de Madeira e posts de conceitos complementares, explicando sobre o zodíaco chinês, yin-yang e cinco elementos […]

  2. O elemento madeira | Unhas Inspiradas - 22/01/2015

    […] E o animal deste ano é o carneiro, com o elemento de madeira. E se vocês quiserem saber como funciona essa ideia de elementos, como funciona o horóscopo chinês e entender um pouco mais desta cultura encantadora, a Iara explicou em outros posts (bem melhor do que eu e meu poder de síntese), então para maiores informações sobre horóscopo chinês. Para entender os cinco elementos. […]

Caso tenha problemas ao comentar, atualize a página (F5) e preencha seus dados sem o email.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: